Caiu na rede é peixe

Quase todos os dias eu recebo uma notificação do Facebook de que eu tenho “lembranças para recordar hoje”. A maioria delas eu nem me lembro do que se trata até visualizá-las novamente. Esses dias, quando vi mais uma notificação desse tipo de um, dois, cinco, oito anos atrás, eu fiquei pensando em como aquilo que postamos na internet fica de alguma forma eternizado não em nossa memória, mas sim na rede toda. Por isso, seja foto, vídeo, texto ou uma frase… caiu na rede é peixe!

Tudo isso tem um lado bom. Com o que publicamos podemos ter um histórico daquilo que estávamos fazendo em determinada data, o que estávamos pensando, onde estávamos e com quem. Isso é ótimo para quem não possui uma memória tão boa ou para quem gosta de guardar recordações. A internet nesse caso é uma boa opção para armazenarmos esses momentos com certa segurança em não perder estas informações. E o mesmo vale para reportagens, artigos, textos que são publicados, tanto por nós quanto pelos outros e até pela mídia.

“Cair” na rede também tem seu lado ruim. Tem uma frase que vi em uma rede social há um tempo que dizia mais ou menos assim: você já parou para pensar quantas pessoas conhece uma versão de você que não existe mais? Eu fui além em meus pensamentos quando pensei na internet e nas publicações feitas e comecei a refletir: você consegue imaginar quantas pessoas veem você de uma maneira que não corresponde ao que você realmente é?

A única certeza que tenho disso tudo é de que primeiro eu tenho um repositório virtual gigantesco da minha vida desde que a internet existe, incluindo momentos e pensamentos que nem me lembrava mais que haviam acontecido ou que passaram pela minha cabeça. Segundo, também sei que algumas coisas que publiquei anos atrás não correspondem mais ao que realmente penso ou acredito. Nós mudamos com o tempo (ainda bem!) porque estamos em constante aprendizado. E por isso devemos tomar cuidado com o que colocamos em nossas redes sociais.

Você pode estar achando que agora estou filosofando ou indo muito longe com meus pensamentos. Mas não estou. Se somos figuras que lidam com o público ou que dependem das redes sociais para vender nossos produtos ou serviços, ter essa atenção com tudo o que é publicado é essencial. Depois que caiu na internet, você perde o controle sobre o que foi postado e cada um pode interpretar como quiser, porque a internet e as redes sociais são um espaço infinito para a livre circulação de ideias e opiniões – assim como já acontece com as palavras que são ditas.

“Ah Deivison, mas eu posso apagar o que eu quiser, posso controlar a privacidade”. Sim, concordo, mas se por acaso acontecer um print de alguém que se sentiu lesado, ou alguém invadir seu computador ou celular, ou identificarem algo que prejudique sua imagem ou da sua empresa, ou se você esqueceu de apagar alguma publicação de anos atrás e alguém recupera? O risco existe sim. E reparar uma imagem é um trabalho gigantesco, sendo que nem há certeza de que esse processo vai dar certo.

E eu não estou dizendo para você ser alheio a redes sociais nem nada parecido com isso. Só estou tentando te alertar para tomar cuidado com o excesso de exposição ou de opiniões polêmicas. Tudo em excesso faz mal, tudo que é muito extremo é prejudicial. Por isso equilíbrio sempre é fundamental. Em tudo e para tudo.

Use sempre a internet a seu favor estudando estratégias para aumentar seu engajamento se você depende dela para sobreviver. Se não, aprenda que o que é mostrado em feeds não significa a verdadeira felicidade. Todos somos seres humanos passíveis a erros, a tristezas, a alegrias, a amor… A vida tem altos e baixos, e geralmente não divulgamos para ninguém nossos “baixos”. Então, não baseie sua vida e seu trabalho no Instagram de pessoas felizes e maravilhosas todos os dias, nem que parecem viver diariamente em constante sucesso. Você não imagina as dificuldades e os medos que elas enfrentam em seu cotidiano, ou os desafios que precisam encarar para alcançarem seus sonhos. Elas só não mostram isso para você.

 Por isso volto a repetir: use a internet a seu favor para não cair em suas armadilhas. Nós só não corremos o risco de ter um grande histórico na internet se mal publicamos algo ou se logo apagamos o que foi postado. Como isso dificilmente acontece, “caiu na rede é peixe”. Consequentemente, todo cuidado nos dias atuais é pouco se você deseja manter uma boa reputação e ser condizente com tudo aquilo que acredita e é. Se caiu na rede é peixe, então saiba selecionar muito bem quais serão os seus.